Fumos de Solda: Cuidados com a exposição. Dicas do Protegildo!

Fumos de Solda: Cuidados Com a Exposição

Um dos riscos ocupacionais da atividade de soldador é a possível aspiração dos chamados fumos de solda.

Os fumos de solda são partículas muito finas, oriundas do eletrodo e do material soldado, que se vaporizam e depois se solidificam.

Podendo ser apenas incômodos ou altamente tóxicos, eles podem prejudicar o sistema nervoso e respiratório do trabalhador.

Também podem desencadear doenças como asma, dermatite alérgica e até alguns tipos de câncer.

Fumos de solda podem prejudicar o sistema nervoso e respiratório do trabalhador

Clique para Tuitar

Medidas para reduzir a exposição a fumos de solda:

  • Os empregadores devem informar aos seus trabalhadores sobre os riscos a que estão expostos;
  • Os empregadores devem oferecer treinamentos adequados para um trabalho seguro e saudável e adotar medidas de prevenção coletiva e individual;
  • As superfícies de soldagem devem ser livres de qualquer revestimento que possa criar exposição tóxica, como resíduos de solventes e tintas;
  • Os trabalhadores devem posicionar-se para evitar a respiração de gases e fumos de solda. Por exemplo, ao trabalhar em ambientes abertos ou ao ar livre, devem permanecer de costas para o vento ao soldar;

Os trabalhadores devem permanecer de costas para o vento ao soldar

Click to Tweet
  • Os sistemas de exaustão localizada devem ser usados para remover gases e fumos de solda da zona de respiração do soldador. Mantenha os captores o mais próximo possível da fonte de geração do fumo de solda;
  • Equipamentos de Proteção Coletiva-EPC têm a função de manter o ambiente de trabalho mais seguro e livre dos agentes nocivos;
  • Considere substituir ou usar um tipo de soldagem e seus consumíveis que gerem menos gases e fumos de solda, ou que sejam menos tóxicos;
  • Nunca solde em espaços confinados e sem ventilação local adequada;
  • Pode ser necessária proteção respiratória, caso as práticas de trabalho e a ventilação não reduzam a exposição a níveis seguros;

Nunca solde em espaços confinados sem ventilação local adequada

Click to Tweet
  • Avaliando o ambiente, a empresa deve desenvolver um Programa de Proteção Respiratória adequado à sua realidade;
  • Ao apresentar qualquer sintoma suspeito após a realização de uma tarefa ou após vários dias da mesma operação, o colaborador deve procurar o serviço médico.

Considerações do Autor:

Os fumos de solda são inalados durante a realização das atividades de soldagem e são bastante prejudiciais para a saúde dos trabalhadores.

É de extrema importância o monitoramento constante do ambiente de trabalho e a adoção de medidas protetivas contra esses agentes nocivos (fumos de solda).

Por serem partículas bem pequenas os fumos de solda são facilmente inalados. 

Podem penetrar nos pulmões e até atingir a corrente sanguínea ...

Assim, a legislação brasileira têm aumentado a cobrança e a exigência em relação a adoção de medidas de prevenção para controlar os riscos gerados pelos gases e fumos de solda.

A Norma Regulamentadora - NR 9 (PPRA), define as medidas de proteção para controlar, minimizar ou eliminar os riscos existentes no ambiente de trabalho.

A Norma Regulamentadora - NR 15 (Operações e Atividades Insalubres), define em seu anexo 11, os limites de tolerância com relação aos agentes químicos presente nos fumos de solda (níquel, chumbo...).

Atualmente, o sistema de exaustação localizada é a medida mais eficiente para a prevenção desse risco ambiental.

A utilização desse sistema, quando bem dimensionado, reduz de forma significativa a exposição do trabalhador a concentrações altamente tóxicas dos fumos de solda.

Deixe nos comentários mais três regras que você acha importante!


Fonte: Revista Proteção, Dicas do Protegildo

Compartilhe