Saúde e Segurança do Trabalho
O Que é Mapa de Riscos

O Que é Mapa de Riscos

O que é um Mapa de Risco?

Em segurança do trabalho, um mapa de risco é um objeto essencial para que a segurança dos trabalhadores seja garantida.

O mapa de risco é uma representação da disposição das máquinas e de todo o aparato necessário para o funcionamento da empresa na planta dos locais de trabalho. Em cada local desta planta há um círculo indicando os possíveis riscos oferecidos aos trabalhadores.

Há duas formas de entender os símbolos utilizados no mapa de risco: a intensidade – que é medida através de círculos de diferentes tamanhos – e o tipo de risco – que é explicado e descrito por meio de diferenciação de cores.

Logo, a combinação de um círculo pintado com uma determinada cor mostra um tipo de risco e o tamanho deste risco para o trabalhador da área.

Tipos de Risco

De acordo com as cores, os tipos de risco são classificados em:

• Grupo 01 – cor verde: riscos físicos, como forte calor ou frio, umidade em excesso, ruído excessivo, entre outros;

• Grupo 02 – cor vermelha: riscos químicos, como exposição a odores desagradáveis ou tóxicos, fumaça, gases tóxicos, entre outros;

• Grupo 03 – cor marrom: riscos biológicos, como presença de insetos ou outros animais nocivos, exposição a vírus, bactérias ou fungos, entre outros;

• Grupo 04 – cor amarela: riscos ergonômicos, como necessidade de levantamento de peso excessivo, Lesão por Esforço Repetitivo, turnos em horários diversos, postura errada ao executar movimentos, entre outros;

• Grupo 05 – cor azul: riscos de acidentes: acidentes que podem ser causados devido à má preparação do ambiente de trabalho, como iluminação inadequada, não utilização de equipamentos de segurança, entre outros.

Tipos de Riscos e Intensidades do Mapa de Riscos

Como e Por Quem é Elaborado o Mapa de Risco?

Um mapa de risco deve ser elaborado por pessoas capacitadas para isso. Estas pessoas possuem formação em Segurança do Trabalho e usualmente compõem a CIPA ou a SESMT. Em grandes empresas que possuem as duas instituições, o mapa de risco é criado por meio de uma parceria entre elas.

É importante frisar que o mapa de risco é obrigatório em empresas que possuam grau de risco ou quantidade de funcionários que exija a presença da CIPA.

Ao colocar a planta dos locais de trabalho sobre a mesa, os técnicos da CIPA ou da SESMT colocam círculos de diferentes tamanhos e com as cores correspondentes em cada local previamente analisado para identificar os possíveis riscos. É possível fazer apenas um mapa geral da empresa ou mapas individuais de cada local de trabalho específico.

Engenheira Fazendo um Mapa de Riscos

Qual a Real Função do Mapa de Risco?

A elaboração de um mapa de risco é importante para que os riscos sejam identificados e mostrados aos funcionários para que eles possam ter mais cautela ao acessar os locais com mais riscos e para que a empresa possa fornecer equipamentos de segurança adequados ao risco que um determinado local oferece aos trabalhadores.

Mas é importante lembrar que a função da CIPA e da SESMT é, também, tentar minimizar tais riscos para os trabalhadores. E o mapa de risco tem função importantíssima neste processo.

Logo, para que um mapa de risco exerça a sua real função, é preciso que ele seja elaborado por pessoas realmente capacitadas e é preciso que ele seja sempre estudado a fim de que os riscos sejam eliminados ou minimizados.

Validade do Mapa de Risco e Outras Regras

Não há uma vigência ou “validade” padrão definida para o mapa de risco. O mesmo deve ser atualizado sempre que houver mudanças no local de trabalho, como: a chegada de um novo equipamento, a mudança do layout, novos procedimentos, enfim, tudo que possa alterar os riscos do local deve fazer com que um novo mapa de risco seja criado.

É importante que todos os funcionários da empresa tenham conhecimento dos riscos que suas atividades e seus locais de trabalho podem oferecer. Logo, o mapa de risco deve permanecer em um local totalmente visível e, de preferência, bem chamativo.

Uma empresa que é obrigada a possuir o mapa de risco, se for fiscalizada e não esteja atendendo esta exigência, é passível a sofrer penalidades – especificamente, multas.

As multas variam de caso para caso, mas para evitar qualquer transtorno, é importante seguir esta regra que pode não só trazer segurança e bem-estar aos funcionários, como também maior produtividade, mais credibilidade para a corporação e uma tranquilidade bem maior para que a empresa continue crescendo e produzindo cada dia mais.

Aproveite, e assista ao vídeo do questionário auxiliar para elaboração de mapa de riscos!

Mapa de Riscos Relampago

E você, já elaborou um mapa de riscos? Possui alguma dúvida a respeito deles? Participe, deixe um comentário!

4 Comentários


  1. Diorge Giovani Tonato

    10 de outubro de 2015 at 01:29

    Interessante matéria, gostaria de fazer um pequeno comentário a título de colaboração. A elaboração do mapa de riscos é atividade da CIPA com assessoramento do SESMT (NR 5.16), dentro dos círculos deve ser colocado o número de funcionários expostos a tal risco (Anexo à portaria Nº 25, de 29 de Dezembro de 1994, anexo IV NR 5).

    Reply

  2. Jair Ferreira da Hora

    14 de outubro de 2015 at 01:55

    NR 05 – Item 5.16 Atribuiçõesdo mapa do mapa de riscos são dos CIPEIROS, sendo que auxiliado pelo SESMT. A princípio o mapa de riscos foi regulado pela portaria 25/12/1994 do M.T.B, e em seguida veio a portaria n° 5 do M.T.B e houve algumas alterções

    Reply

    • André Chaves

      14 de outubro de 2015 at 09:07

      Exatamente, Jair.
      Precisamos ainda ter em mente que os membros da CIPA deverão obter treinamento adequado, inclusive para a correta elaboração do Mapa de Riscos.
      Muitas vezes, os membros da CIPA não têm experiência alguma na elaboração de Mapa de Riscos, então é importante que eles possam contar com o auxílio do SESMT (na existência deste) ou de outros profissionais capacitados.
      Apenas relembrando: as portarias são a de nº05 de 92 e a nº25 de 94.
      Abraços!

      Reply

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

E-Book Grátis

Sobre André Chaves


Engenheiro Ambiental com pós graduação em Engenharia de Segurança pela Universidade Fumec, presto consultoria na área de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional. Acredito na aplicação da SST nas empresas de forma a oferecer o máximo de segurança aos trabalhadores, sem que isto onere demasiadamente os empregadores.