Dicas do Protegildo - Revista Proteção, Legislação, Medidas de Proteção, NR 10, Saúde e Segurança do Trabalho
NR 10 – Orientações para o Cumprimento dos Itens da Norma

NR 10 – Orientações para o Cumprimento dos Itens da Norma

O trabalho com eletricidade oferece diversos riscos à segurança e à saúde de seus trabalhadores. Para que essa atividade seja realizada de forma segura e sem riscos para a integridade física do trabalhador, é preciso ficar atento ao cumprimento dos itens de segurança da NR 10 (Instalações e Serviços em Eletricidade).

NR 10 – Orientações

  • Verificar se os esquemas unifilares das instalações elétricas estão atualizados com as especificações do Sistema de Aterramento e demais equipamentos e dispositivos de proteção coletiva – obrigatoriedade estabelecida pelo item 10.2.3 da NR 10.
  • Adotar medidas preventivas do controle do risco elétrico e de outros riscos adicionais e divulgá-las entre os colaboradores – obrigatoriedade estabelecida pelo item 10.2.1 da NR 10.
  • Proibir os trabalhadores que operam instalações elétricas ou que trabalham em suas proximidades de fazerem uso de adornos pessoais durante sua atividade – obrigatoriedade estabelecida pelo item 10.2.9.3 da NR 10.
  • Manter as instalações elétricas em condições seguras de funcionamento, inspecionando e controlando-as periodicamente – conforme item 10.4.4 da norma regulamentadora 10.
  • Submeter os trabalhadores autorizados a intervir em instalações elétricas a exames de saúde compatíveis com as atividades desenvolvidas – item 10.8.7 da norma.
  • Promover treinamento de reciclagem de forma contínua e sempre que houver troca de função, retorno de afastamento ao trabalho ou modificações significativas nas instalações elétricas ou de métodos, processos e organização do trabalho – definido no item 10.8.8.2 da NR 10.
  • Conferir se as áreas em que houver instalações ou equipamentos elétricos possuem medidas de proteção contra incêndio e explosão – medidas obrigatórias, determinadas pelo item 10.9 da norma, e seus subitens.
  • Instruir os trabalhadores sobre os riscos a que estão expostos, assim como quanto aos procedimentos e medidas de controle a serem adotados – definido em norma, no item 10.13.2.
  • Somente realizar serviços em instalações elétricas nas áreas classificadas mediante permissão para o trabalho com liberação formalizada – obrigatoriedade definida pelo item 10.9.5.
  • Enviar periodicamente para testes elétricos ou ensaios de laboratório os equipamentos, ferramentas e dispositivos isolantes ou equipados com materiais isolantes, destinados à segurança contra os riscos elétricos – previsão definida pelo item 10.7.8 da NR10.
  • Garantir que as vestimentas de trabalho em instalações elétricas contemplem as necessidades estabelecidas em análise de risco, quanto à condutibilidade, inflamabilidade e influências eletromagnéticas, sem descuidar dos aspectos ergonômicos – conforme item 10.2.9.2, NR10.

NR 10 Riscos Eletricos

Opinião do autor:

Conforme explicitamente indicado, todas as recomendações são baseadas em itens obrigatórios pela norma regulamentada que trata da segurança em instalações e serviços em eletricidade (NR 10). A observância da norma garante a segurança dos trabalhadores e o cumprimento da legislação.

Esta Dica do Protegildo aborda apenas as recomendações consideradas como mais importantes, entretanto não posso deixar de ressaltar que todos os itens previstos pela norma devem ser seguidos – assim como a nossa Constituição, a norma não contém palavras inúteis, todas as obrigatoriedades têm uma razão de ser, e são importantes para garantir a segurança do trabalhador.

Os trabalhos em eletricidade envolvem riscos altíssimos, uma vez que quaisquer erros cometidos, sem que sejam tomadas as devidas medidas de prevenção, pode acarretar em fatalidades. Exatamente por isso, devemos sempre tomar o máximo de cuidado possível.

E você, possui experiência em trabalhos com eletricidade? Conte suas experiências, deixe um comentário!

Facebook Comments

7 Comentários


  1. Celso Dinarte Rocha Cesar

    12 de janeiro de 2016 at 19:32

    Esse material da NR 10 é de extrema importância tem faltado informação.

    Reply

  2. maria

    25 de fevereiro de 2016 at 21:04

    esse material e excelente só tem que ser mais divulgado!!

    Reply

    • André Chaves

      26 de fevereiro de 2016 at 23:21

      Muito obrigado! Pra isso, é só cada um ajudar: o “boca a boca” anda longas distâncias…
      Abraços e sucesso!

      Reply

  3. jailton lemos

    28 de fevereiro de 2016 at 10:37

    Olá
    Compartilhei a página no meu face mais não consigo o e-book, está dando página com erro.
    poderias enviar no meu email?
    Grato!!

    Reply

  4. Mauricio Lourenço

    6 de agosto de 2016 at 15:36

    Formar na área de sst hoje, é uma têta de bão! O que tem de excelentes ajudas como as dessa página, do nosso estimado e ajudador André Chaves, realmente é gratificante e nos enche de orgulho em saber que de fato não estamos SÓS. O difícil foi quando eu me formei, em 1978, já pegando carona com a 3.214, quentinha quentinha e ainda na forma. Sou prova das diversas transformações que passou a nossa área de sst. Já me aposentei, e se precisasse, faria TUDO DE NOVO. Hoje, é ensinar e/ou passar pra frente o que de bom e novidades temos no mercado. “CONSCIENTIZAÇÃO….Ferramenta indispensável nas práticas e procedimentos de SST”. Que Deus continue nos protegendo….sempre.

    Reply

    • André Chaves

      9 de agosto de 2016 at 17:23

      E são comentários como estes que nos faz querer continuar e contribuir cada vez mais…
      Obrigado Mauricio, e que Deus nos dê proteção e saúde, porque o restante nós fazemos!

      Reply

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

E-Book Grátis

Acessar o E-Book Grátis

Sobre André Chaves


Engenheiro Ambiental com pós graduação em Engenharia de Segurança pela Universidade Fumec, presto consultoria na área de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional. Acredito na aplicação da SST nas empresas de forma a oferecer o máximo de segurança aos trabalhadores, sem que isto onere demasiadamente os empregadores.