Dicas do Protegildo - Revista Proteção, Saúde e Segurança do Trabalho
Proteção solar nos trabalhos externos

Proteção solar nos trabalhos externos

Trabalhadores que precisam exercer suas atividades a céu aberto, seja na agricultura, pecuária ou em empresas de processos como refinarias, além de carteiros e ambulantes, etc., são expostos quase todos os dias aos raios solares. Quando excessiva e sem os devidos cuidados, essa exposição pode trazer sérias consequências para a sua saúde. Saiba mais sobre os riscos e as medidas preventivas cabíveis.

Os trabalhos a céu aberto estão contemplados na NR 21 e há cuidados gerais a serem fornecidos pelo empregador, como a existência de abrigos e medidas especiais contra a insolação excessiva, calor, frio, umidade e ventos.

O sol traz luz e calor (radiação infravermelha),além  da radiação ultravioleta, que é invisível como a infravermelha, mas não produz sensação ao ser absorvida. A sensação de aquecimento sob o sol é dada pela radiação infravermelha.

Uma das preocupações nas exposições solares ocupacionais é a sobrecarga térmica. Ela depende não só do sol, mas da atividade física, e deve ser estudada pelo SESMT, com base no anexo 3 – Limites de Tolerância para Exposição ao Calor da NR 15 – Atividades e Operações Insalubres.

exposição solar

Além do risco da sobrecarga térmica, há os riscos da radiação ultravioleta, que pode causar queimaduras solares e também aumenta o risco de câncer de pele. Observe que as queimaduras por UV excessivo são efeitos que todos terão, o câncer de pele depende de outros fatores. Todavia, o risco existe e não deve ser desprezado.

A proteção solar adequada deve ser definida pelo SESMT e pode incluir:

  • camisas com mangas longas quando possível;
  • chapéu com abas largas ou chapéus com proteção da nuca;
  • protetor solar com fator de proteção FPS elevado.

Como utilizar o protetor solar eficientemente:

  • o fator de proteção solar é um multiplicador baseado no tempo para queimaduras. Se uma pessoa estima que pode ficar “X” minutos no sol do meio dia sem sofrer nenhum efeito, deve multiplicar esse valor pelo FPS e o resultado deve ser igual ou maior que a jornada de trabalho. Por exemplo, 15 minutos vezes FPS 30 é igual a 450 minutos, quase oito horas. Por segurança, acrescente 50% ao FPS estimado ou use o maior disponível;
  • aplique 20 minutos antes de iniciar a exposição;
  • reaplicar a cada duas horas e sempre após lavar-se. Excesso de suor também exige reaplicação mais frequente;
  • o FPS geralmente se refere aos raios UVB. Verifique se a proteção do creme aos raios UVA também é alta;
  • prefira roupas de tecidos com trama cerrada. Hoje em dia também se pode comprar roupas com FPS conhecido, como usam os surfistas.
Fonte: Revista Proteção, Dicas do Protegildo.

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

E-Book Grátis

Acessar o E-Book Grátis

Sobre André Chaves


Engenheiro Ambiental com pós graduação em Engenharia de Segurança pela Universidade Fumec, presto consultoria na área de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional. Acredito na aplicação da SST nas empresas de forma a oferecer o máximo de segurança aos trabalhadores, sem que isto onere demasiadamente os empregadores.