Segurança na Indústria da Cerâmica. Dicas do Protegildo. Leia AGORA!

Mais Segurança na Indústria da Cerâmica

Abrangendo a produção de artefatos como tijolos, blocos de vedação e telhas, além de materiais para revestimentos de paredes, pisos e bancadas, as atividades desenvolvidas na indústria da cerâmica passam pelas seguintes etapas:

  • Preparação da matéria-prima e da massa;
  • Conformação das peças;
  • Secagem;
  • Classificação;
  • Embalagem.

Muitos produtos, na indústria da cerâmica, também são submetidos à esmaltação e decoração. 

Saiba quais são os principais riscos que o setor (indústria da cerâmica) oferece e como prevenir acidentes e doenças.

Calor

Fornos, secadores e, eventualmente, raios solares, aliados às atividades, podem acarretar diminuição de rendimento, de percepção e raciocínio, esgotamento, prostração, desidratação, câimbras e exaustão.

O que fazer?

  • Redução de áreas expostas às fontes, por exemplo, mantendo as bocas de fornos fechadas;
  • Distanciamento das tarefas realizadas próximas às fontes, com inclusão de barreiras;
  • Aumento da taxa de troca de ar no ambiente;
  • Fornecimento de uniformes termoisolantes refletivos;
  • Redução da carga metabólica por mecanização das operações ou pela introdução de rodízio para a inclusão de pausas;
  • Aclimatação do trabalhador ao ambiente quente.

Para saber mais sobre riscos físicos acesse aqui!

Ruído

Na indústria cerâmica, as principais fontes de ruído que podem ocasionar ao trabalhador danos de equilíbrio, do sono, psicológico, social, nos sistemas circulatórios, digestivo, reprodutor e a Perda Auditiva por Ruído (PAR), são os equipamentos e as operações, como as de moagem.

O que fazer?

  • Enclausuramento ou isolamento das fontes;
  • Distribuição dos postos de trabalho;
  • Afastamento dos locais ruidosos; 
  • Inclusão de barreiras acústicas;
  • Fornecimento de protetores auditivos adequados e treinamento para o uso;
  • Higienização e conservação dos protetores auditivos;
  • Redução do tempo de exposição dos trabalhadores, por exemplo, introduzindo rodízio entre postos mais e menos ruidosos.

Para saber mais sobre medidas de controle do ruído acesse, aqui!

Poeira

A exposição à poeira respirável, gerada pelos processos como moagem e mistura, pode afetar o trato respiratório do colaborador e causar doenças do grupo das pneumoconioses, como a silicose.

O que fazer?

  • Ajuste do processo para a via úmida;
  • Enclausuramento ou isolamento das operações que geram poeiras respiráveis;
  • Adequação dos procedimentos, por exemplo, a limpeza das áreas por sucção ou umedecendo os pisos;
  • Instalação de ventilação local exaustora para que o agente não se propague;
  • Redução da exposição do trabalhador pela adoção do PPR (Programa de Proteção Respiratória).

Para saber mais sobre riscos químicos acesse aqui!

Acidentes

Na indústria cerâmica são comuns acidentes relacionados à operação nas prensas, se o equipamento não tiver sistema de proteção adequada, entre outros.

O que fazer?

O empregador deve investir:

  • Na proteção de máquinas;
  • Na adequação das instalações elétricas;
  • Na manutenção das vias de circulação;
  • Na prevenção de animais peçonhentos;
  • Na qualificação dos operadores de máquinas;
  • Na conscientização dos trabalhadores quanto aos riscos existentes nos locais de trabalho;
  • No fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários.

Deixe nos comentários mais três ações que você acha importante!

Fonte: Revista Proteção, Dicas do Protegildo

Compartilhe