Controle do Ruído: Saiba AGORA as medidas de controle do ruído!

Medidas de Controle do Ruído

Neste artigo irei abordar sobre as medidas de controle do risco físico ruído.

O controle do ruído pode ser feito de três diferentes formas: 

  • Controle na fonte
  • Controle na trajetória
  • Controle no trabalhador

Controle do Ruído na Fonte

O método de controle na fonte do ruído é a forma mais recomendada quando existe viabildade técnica para tal medida.

A etapa de planejamento das instalações representa o momento mais adequado para controlar o risco ruído em sua fonte.

Isso porque, nessa fase, você pode escolher máquinas e equipamentos que possam gerar menos ruído.

Além disso, é o momento para organizar o lay-out do estabelecimento e isolar a fonte de ruído dos trabalhadores.

Exemplos de métodos de controle do ruído na fonte:

  • Substituição de máquinas e equipamentos por outros mais silenciosos;
  • Alteração de processos (substituição do sistema pneumático por hidráulico);
  • Programação de operações para evitar o funcionamento simultâneo de máquinas;
  • Regulação de motores;
  • Fixação reforçada das estruturas para evitar as vibrações;
  • Instalação de abafador (silencioso) nos escapamentos;
  • Absorção de choques por meio da utilização de revestimentos de borracha.
Trabalhador planejando controle de ruido

Controle do Ruído na Trajetória

Caso não seja possível controlar a fonte do ruído, verifica-se a possibilidade de aplicação de medidas de controle na trajetória do ruído.

Ao incidir sobre uma superfície, parte do som é absorvida, parte é refletida e parte é transmitida.

Na aplicação de medidas de controle na trajetória, o som já foi gerado. 

A finalidade desse tipo de controle (controle na trajetória) é evitar a transmissão do som para outro ambiente ou evitar a sua reflexão.

Dessa forma o controle na trajetória pode ser alcançado com o isolamento do som e/ou por meio de sua absorção.

O som pode ser absorvido quando encontra uma superfície. Materiais fibrosos e porosos são os melhores absorventes (vidro, lã, cortiça).

O isolamento do som (isolamento acústico) é uma medida de controle destinada a evitar a transmissão do som de um ambiente para o outro.

Como exemplo de isolamento acústico posso citar a utilização de portas, paredes duplas, janelas, cabines - materiais densos e compactos.

No isolamento deverão ser evitadas qualquer descontinuidade que permita a passagem do ar (Ex. frestas).

Isso poderá influenciar na eficiência do isolamento.

Tanto a fonte do ruído como também o trabalhador exposto (receptor do ruído) podem ser isolados.

  • Isolamento da fonte: construção de barreiras separando a fonte do ruído do ambiente em que o rodeia (Ex.: parede isolante). 
  • Isolamento do receptor (trabalhador): construção de barreiras separando a fonte do ruído do ambiente em que o trabalhador está exposto. (Ex. cabine de um equipamento móvel).

Exemplo de outras medidas de controle na trajetória:

  • Aumento da distância entre a fonte do ruído e o receptor (trabalhador);
  • Redução do número de máquinas e equipamentos em um mesmo local.
Mulher trabalhando controle de ruido

Controle do Ruído no Indivíduo

Caso não seja possível controlar o ruído na sua fonte ou trajetória, deverão ser adotadas medidas de controle no trabalhador.

O controle no trabalhador deverá ser aplicado de forma complementar às medidas citadas anteriormente (controle na fonte e trajetória).

Também deverá ser aplicado quando as medidas anteriores (controle na fonte e trajetória) não forem suficientes para resolver o problema.

São medidas de controle no trabalhador:

  • Limitação do tempo de exposição ao ruído;
  • Utilização de EPI (Equipamento de Proteção Individual);
  • Programa de Conservação Auditiva (PCA)

Limitação do Tempo de Exposição

Uma das medidas de controle no trabalhador é a redução do tempo de exposição aos níveis de ruído superiores aos limites de tolerância.

A redução do tempo de exposição pode ser alcançada por meio do rodízio dos trabalhadores nas operações ou atividades ruidosas.

Para que essa medida tenha sucesso e tenha seu objetivo alcançado (efetiva redução do nível de exposição dos trabalhadores ao ruído), deverá ser devidamente estudada.

Os métodos de trabalho, o tempo de realização das tarefas, por exemplo, deverão ser consistentemente estudados para que se tenha êxito na aplicação das medidas de controle.

Utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual)

A utilização de um equipamento de proteção individual, mais especificamente o protetor auricular, é também uma medida de controle.

O protetor auricular é um equipamento que deve ser colocado no ouvido do trabalhador.

Deve ser usado quando não for possível o controle do ruído na fonte e na trajetória, ou quando este não for capaz de reduzir o ruído satisfatoriamente.

Existem alguns procedimentos mínimos que deverão ser observados no que diz respeito ao uso dos protetores auriculares, como a escolha do equipamento, vida útil, dentre outros fatores.

Seleção de Protetores Auriculares

Existem dois tipos de protetor auricular: 

  • Protetor Auricular de Inserção (plug)
  • Protetor Auricular de Concha (circum-auriculares)

No momento de escolha do protetor auricular a ser utilizado, deverão ser observadas as vantagens, desvantagens, fatores de proteção e outras características de cada tipo.

Protetor auricular de insercao
Protetor Auricular de Inserção
  • É fácil de carregar, mas é fácil de ser perdido;
  • Pode ser moldável, pré-moldado, descartável ou não descartável;
  • Não é visto facilmente por outros trabalhadores, dificultando a comunicação;
  • Não dificulta a utilização de outros EPIs, como por exemplo, óculos de proteção;
  • Deve ser adequado a cada longitude e diâmetro do canal auditivo externo;
  • Deve ser frequentemente esterilizado;
  • Para colocar, as luvas de proteção deverão ser tiradas;
  • Não é afetado pela temperatura ambiental; 
  • Deve ser inserido apenas em ouvido saudável;
  • Possui vida útil curta;
  • Possui custo inicial baixo.
Protetor auricular de concha
Protetor Auricular de Concha
  • É grande e não pode ser carregado no bolsa da roupa;
  • Devem ser guardados em locais apropriados;
  • Pode ser observado por outros indivíduos a grandes distâncias;
  • Dificulta a utilização de outros EPIs, como por exemplo, óculos de proteção;
  • Pode ser colocado por qualquer pessoa, sem ajustes complexos;
  • Pode ser colocado e ajustado com luvas de proteção;
  • Pode ser confortável no frio e desagradável no calor;
  • Sua higienização deve ser feita em ambiente apropriado;
  • Pode ser utilizado em ouvido saudável ou enfermo;
  • Possui vida útil longa;
  • Possui custo inicial alto.

Uso Efetivo de Protetores Auriculares

A simples utilização do protetor auricular não implica na eliminação do risco de o trabalhador vir a adquirir problemas na capacidade auditiva.

Para ser eficaz, o protetor auricular deverá ser utilizado de forma correta e o equipamento deverá estar de acordo com os requisitos mínimos de qualidade.

A qualidade do protetor auricular é representada pela capacidade de atenuação do agente físico ruído, e deverá ser devidamente testada por órgão competente do Ministério do Trabalho e Emprego.

A utilização constante do protetor auricular é essencial para garantir a eficácia da proteção.

Sendo assim, o melhor protetor auricular é aquele que o trabalhador efetivamente utilizará. 

O conforto do protetor irá contribuir para sua constante utilização.

Exame audiometrico PCA

Programa de Conservação Auditiva (PCA)

O Programa de Conservação Auditiva tem por objetivo estabelecer métodos de gerenciamento das medidas de controle da exposição ocupacional ao risco físico ruído.

A primeira etapa do programa é o reconhecimento ou identificação dos ambientes de trabalho onde possa existir exposição ao ruído.

Depois é feita uma avaliação repetitiva e sistemática dos níveis ruído. As medidas a serem tomadas posteriormente dependerá dos valores encontrados. 

Nível de ação: valor acima do qual deverão ser praticadas ações preventivas, de forma a minimizar a probabilidade de que as exposições ao ruído ultrapassem os limites de tolerância - controle médico, informação aos trabalhadores e monitoramento periódico da exposição.

Dependendo do nível de ruído encontrado no ambiente de trabalho, deverão ser adotadas medidas de controle na fonte e na trajetória.

Se essas medidas reduzirem o ruído para abaixo do limite, deverá ser realizada apenas um monitoramento periódico dos riscos.

Se essas medidas não reduzirem o ruído para abaixo do limite, deverão ser adotadas ações de controle no trabalhador (uso de protetor auricular, por exemplo).

Por último, deverá ser adotado um controle médico com a realização, especialmente, de exames audiométricos.

O controle médico irá constatar a eficiência das medidas de controle que foram adotadas ao longo do programa. 

Referência Bibliográfica

SALIBA, Tuffi Messias. Manual Prático de Avaliação e Controle do Ruído. LTr Editora, 10˚ edição, SP, 2018.

E você, sabe quais são as medidas de controle do ruído? Compartilhe suas experiências ou dúvidas deixando seu comentário!

Compartilhe