Medidas de Controle para Gases e Vapores. Acesse AGORA!

Medidas de Controle Para Gases e Vapores

Gases e vapores são agentes químicos que podem penetrar no organismo pela via respiratória, digestiva, parenteral e também pelo contato com a pele.

Outra característica de gases e vapores é a sua capacidade de criar uma atmosfera inflamável e explosiva.

Gases são agentes químicos que se encontram no estado gasoso, em condições ambientais de temperatura e de pressão. Exemplos: hidrogênio, nitrogênio e oxigênio.

Vapores são agentes químicos que se encontram no estado gasoso, mas que, em condições ambientais de temperatura e pressão, se encontram sob o estado líquido ou sólido. Exemplo: vapor de gasolina e vapor de água.

As ações de controle de gases e vapores devem ser capazes de reduzir ou eliminar a concentração desses agentes químicos no ambiente de trabalho.

A concentração dos respectivos contaminantes deve ser reduzida ou eliminada até alcançar níveis considerados adequados pela higiene ocupacional.

As medidas de controle de gases e vapores podem ser adotadas:

  • No ambiente de trabalho (fonte de produção dos gases e vapores ou no meio de difusão);
  • No trabalhador (receptor dos gases e vapores).

As medidas de controle no trabalhador só poderão ser aplicadas, quando as medidas de controle no ambiente de trabalho forem consideradas inviáveis.

Pintor com protecao respiratoria

Medidas de Controle no Ambiente de Trabalho

Substituição do Produto

Uma forma de controlar a produção de gases e vapores é substituir produtos tóxicos e nocivos à saúde do trabalhador. 

Nas operações de limpeza, por exemplo, poderão ser utilizados produtos de soluções aquosas com detergentes adequados ao invés de solventes orgânicos.

Alteração do Processo ou da Operação 

Outra forma de controlar a produção de gases e vapores no ambiente de trabalho é modificar o processo produtivo ou modificar a forma de operar do trabalhador.

Como exemplo podemos citar a operação de pintura com um pincel no lugar da pistola.

Enclausuramento da Operação

A produção de gases e vapores também pode ser controlada com o enclausuramento de operações.

Esse enclausuramento tem por objetivo impedir que os agentes químicos sejam dispersados para o ambiente de trabalho.

Como exemplo de aplicação dessa medida de controle, podemos citar o uso de cabines para as operações de pintura. Nessa situação, o confinamento deverá ser combinado com a ventilação exaustora local.

Equipe de trabalho com equipamentos de protecao

Segregação da Operação

A segregação ou isolamento da operação é uma forma de controle de gases e vapores no ambiente de trabalho.

Consiste no isolamento da operação que produz os riscos químicos, limitando seu espaço físico fora da área de produção.  

Como exemplo podemos citar a realização de operações de pintura a pistola fora da área produtiva.

O isolamento da operação também pode ser temporal. Nesse caso, as operações que produzem riscos químicos são realizadas fora do horário de trabalho.

Como exemplo podemos citar a realização de serviços de reparo de alto risco fora da jornada de trabalho convencional.

A aplicação de tais medidas leva à diminuição do número de trabalhadores expostos aos riscos químicos no ambiente de trabalho.

Sistemas de Alarme

A instalação de sistemas de alarme é uma medida de controle bastante útil em locais próximos à fonte geradora de gases e vapores.

São usados normalmente em indústrias siderúrgicas para monitorar a concentração de monóxido de carbono, por exemplo.

Industria gases e vapores

Ventilação Geral Diluidora 

A ventilação geral diluidora é uma medida de controle de gases e vapores que promove a redução da concentração desses agentes químicos no ambiente de trabalho.

Essa redução ocorre na medida em que há uma introdução de grande quantidade de ar puro no ambiente de trabalho.  

Esse ar puro acaba por dispersar ou diluir as concentrações de agentes químicos tóxicos e nocivos à saúde do trabalhador.

A ação de controle pela aplicação da ventilação não interfere nas operações industriais e o custo de instalação é baixo.

No entanto, a utilização da ventilação geral diluidora não é muito frequente.

Isso porque, a quantidade de gases e vapores produzidos normalmente é muito grande e sua dispersão pelo ambiente de trabalho não é aconselhável.

Além disso, esses agentes químicos podem ser bastante tóxicos, sendo necessário a utilização de um grande volume de ar para a diluição. 

Perceba que tal medida de controle não impede a emissão de gases e vapores para o ambiente de trabalho. Mas, os dilui/dispersa.

Assim, para que a aplicação dessa medida seja eficaz é importante observar as seguintes condições: 

  • Os gases e vapores produzidos devem estar presentes em quantidade não excedente àquela que pode ser diluída, utilizando adequado volume de ar;
  • Os trabalhadores devem estar distantes da fonte geradora dos gases e vapores. Essa distância deve ser suficiente para impedir a exposição do trabalhador a concentrações acima dos limites de tolerância; 
  • A toxicidade dos gases e vapores deve ser baixa;
  • Os gases e vapores devem ser produzidos em uma quantidade razoavelmente uniforme.
Trabalhador com protecao respiratoria no trabalho

Ventilação Local Exaustora

A ventilação local exaustora também é uma medida de controle da concentração de gases e vapores. 

Esse tipo de ventilação tem por objetivo captar os gases e vapores da fonte geradora, antes que possam se dispersar no ar e atingir o trabalhador.

Entre os benefícios da ventilação local exaustora podemos citar: captura e controle completo dos agentes químicos, menor volume de ar utilizado, redução de custos e vazões requeridas mais baixas.

A ventilação local exaustora é normalmente utilizada em operações de soldagem, cabines de pintura, laboratórios, tanques de decapagem, dentre outras atividades.

Conservação do Ambiente de Trabalho 

A conservação, limpeza e organização das máquinas, equipamentos e do local de trabalho são medidas fundamentais para a eficácia dos métodos supracitados.

Entre as medidas de limpeza, ordem e conservação do ambiente de trabalho podemos citar: limpeza dos pisos, limpeza de máquinas, equipamentos e demais superfícies, transporte adequado de materiais tóxicos e nocivos, organização das atividades de forma que limite a exposição dos trabalhadores expostos à riscos químicos, dentre outras medidas.

Trabalhador com protecao respiratoria

Medidas de Controle no Trabalhador

Educação e Treinamento

Uma das medidas mais importantes para que se possa controlar os riscos ambientais no ambiente de trabalho é a educação e treinamento dos trabalhadores expostos.

A conscientização do trabalhador em relação aos riscos químicos, asseguram a efetividade das demais medidas de controle que forem implementadas.

Além disso, os trabalhadores devem ter treinamentos sobre noções de primeiros socorros e de outros procedimentos emergenciais. 

Utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)

A adoção de equipamentos de proteção individual como medida de controle de gases e vapores, somente deverá ser aplicada após serem consideradas todas as demais medidas de controle no ambiente. 

Existem algumas situações que inviabilizam parcialmente ou totalmente a aplicação das medidas de controle de riscos químicos no ambiente.

Nesses casos, a única maneira de proteger o trabalhador da exposição aos riscos é a utilização dos EPIs.

Atividades ou operações onde a concentração dos gases e vapores estão acima do limite de tolerância, exigem a adoção do EPI (respirador de filtro químico).

Se forem verificadas concentrações de gases e poeiras no local de trabalho o trabalhador deverá utilizar respiradores de filtro combinado (filtro químico + filtro de partículas).

Os respiradores devem ser utilizados durante todo o tempo em que o trabalhador estiver exposto aos riscos.

Isso porque, a não utilização do equipamento de proteção, mesmo que em curto período, diminui de forma significativa o seu fator de proteção.

Para a manutenção da sua qualidade os EPIs devem ser periodicamente testados, para verificar e garantir a efetiva proteção dos equipamentos. 

Gases e vapores também podem entrar no organismo do trabalhador através da pele.

Nesse caso, deverão ser utilizadas luvas adequadas além de outros equipamentos necessários para a proteção das outras partes do corpo (óculos, botas e outras vestimentas de proteção).

Trabalhadores conversando

Limitação do Tempo de Exposição

Uma outra medida que pode ser aplicada para controlar os riscos ambientais no ambiente de trabalho é limitar o tempo de exposição do trabalhador aos agentes químicos.

A redução do tempo de trabalho é uma ação a ser aplicada quando todas as outras medidas de controle forem insuficientes ou impraticáveis no combate ao agente. 

A limitação da exposição do trabalhador a gases e vapores é uma solução econômica e efetiva. 

Controle Médico

Como forma de avaliação da efetividade das medidas de controle dos riscos químicos, os trabalhadores devem ser submetidos a exames médicos. 

Esses exames médicos são necessários para poder controlar a saúde geral dos trabalhadores e para verificar predisposições à doenças profissionais. 

Trabalhadora com protecao respiratoria

PPR (Programa de Proteção Respiratória) 

O PPR (Programa de Proteção Respiratória) é um programa que visa a proteção dos trabalhadores contra a inalação de gases e vapores nocivos à saúde, por meio da utilização de respiradores específicos.

O PPR deverá ser implementado pelas empresas, observando-se algumas considerações básicas: 

  • A administração do PPR deve ser feita por alguém que tenha conhecimentos na área de proteção respiratória e de normas relacionadas à matéria 
  • Os procedimentos operacionais de escolha e utilização dos equipamentos de proteção respiratória deverão ser escritos assim como os critérios de substituição, treinamento, responsáveis pela distribuição, higienização e manutenção, etc;
  • A seleção dos equipamentos de proteção respiratória deverá levar em consideração a atividade do trabalhador, a natureza do risco químico, ambiente de trabalho, limitações dos protetores, dentre outros fatores;
  • Para que a implementação do PPR seja eficaz é necessário que exista treinamentos para a correta utilização dos equipamentos de proteção respiratória. Também são necessários treinamentos para: situações de emergência, manutenção e higienização dos equipamentos, conhecer as limitações dos equipamentos, dentre outras;
  • É importante que seja feito um monitoramento dos agentes químicos (gases e vapores), para que os equipamentos de proteção respiratória sejam corretamente selecionados. Esse monitoramento é essencial para o conhecimento da concentração dos agentes no ambiente de trabalho.
  • Deverão ser feitas avaliações médicas específicas para aqueles trabalhadores usuários dos equipamentos de proteção respiratória. Essas avaliações objetivam verificar a função pulmonar do trabalhador, investigar alterações psíquicas e neurológicas e a existência de deformidades na face que possam impedir a utilização do equipamento. Além disso, outros exames deverão ser realizados para verificar se o trabalhador está realmente sendo protegido pelo equipamento de proteção respiratória.
  • A distribuição dos equipamentos de proteção respiratória assim como a substituição dos mesmos e treinamentos, deverão ser documentados em função de eventuais processos trabalhistas.
  • Auditorias periódicas deverão ser realizadas com a finalidade de avaliar a eficácia do programa de proteção respiratória (PPR). Essa auditoria deverá contemplar todos os tópicos supracitados e verificar se a implementação do programa está de acordo com as normas legais vigentes.

E você, qual medida de controle acha mais importante? Medidas de controle no ambiente de trabalho ou no trabalhador? Compartilhe suas experiências ou dúvidas deixando seu comentário!

Compartilhe