Riscos Biológicos: Saiba AGORA sobre os danos e formas de proteção!

Riscos Biológicos

Risco biológico é a probabilidade da exposição ocupacional a agentes biológicos. São riscos ambientais assim como os riscos químicos e os riscos físicos.

Principais agentes biológicos: microrganismos (bactérias, fungos e vírus do HIV), parasitas internos (vermes), parasitas externos (sarna, piolho e berne) e protozoários.

O que os agentes biológicos podem causar no trabalhador? 

  • Bactérias: tuberculose, pneumonia, intoxicação alimentar...
  • Vírus: gripes e resfriados, hepatite, HIV, sarampo, caxumba...
  • Fungos: micoses, candidíase...
  • Protozoários: doença de Chagas, giardíase...
  • Vermes: solitária, bicho geográfico, lombrigueiro...
  • Parasitas externos: chato, piolho, berne, sarna, sanguessugas...

Os riscos biológicos geralmente estão presentes nos seguintes ambientes ocupacionais: hospitais, laboratórios, indústria alimentícia, agricultura, abatedouros... 

Mas, de forma geral, os hospitais e os serviços relacionados à saúde são as áreas mais conhecidas por apresentarem riscos biológicos aos trabalhadores.

Profissionais da saude analisando riscos biologicos

Classificação dos Agentes Biológicos

Os agentes biológicos são classificados de acordo com o risco que representam para a saúde do trabalhador, existência ou não de cuidados e tratamentos e capacidade de propagação à coletividade.

A classificação distribui os agentes biológicos em classes de risco 1, 2, 3 e 4.

Classe de Risco 1: agentes biológicos que apresentam baixo risco para o trabalhador e para a coletividade. Risco individual baixo e risco de propagação baixo. Não possui comprovada capacidade de causar doenças em pessoas ou animais saudáveis (p.ex. Lactobacillus Acidophilus).

Classe de Risco 2: agentes biológicos que apresentam risco moderado para o trabalhador e risco fraco para a coletividade; podem causar doenças em pessoas e animais, mas existem tratamentos preventivos. Risco individual moderado e risco de propagação baixo (p.ex. herpes).

Classe de Risco 3: agentes biológicos que apresentam risco elevado para o trabalhador e risco moderado para a coletividade. Podem causar doenças graves em pessoas e animais. Nem sempre existe uma forma de tratamento eficaz. Risco individual elevado e risco de propagação moderado (p.ex. febre amarela, HIV).

Classe de Risco 4: agentes biológicos de alta periculosidade, que apresentam risco elevado para o trabalhador e para a coletividade. Podem causar doenças de altíssima gravidade em pessoas e animais. Não existe uma forma de tratamento eficaz. Risco individual elevado e risco de propagação elevado (p.ex. vírus de febres hemorrágicas, ebola).

Identificacao de riscos biologicos

Identificação dos Riscos Biológicos

O controle de riscos que estão descritos no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), visa reduzir ou eliminar a exposição dos trabalhadores aos agentes biológicos.

O reconhecimento dos riscos biológicos deverá considerar os agentes mais frequentes, o perfil da região, dos trabalhadores e do próprio serviço de saúde.

A localização é bastante relevante para a identificação dos riscos, pois alguns agentes biológicos podem estar delimitados a certas regiões enquanto outros podem estar distribuídos de forma ampla.

Portanto, o agente biológico mais frequente em certa região deverá ser levado em conta na identificação dos riscos dos serviços de saúde estabelecidos naquela região.

O reconhecimento dos riscos biológicos deverá considerar o próprio serviço de saúde e suas características. Como exemplo, os agentes presentes no serviço de pediatria podem ser diferentes daqueles encontrados no serviço de atendimento à adultos.

Enfermeira doente por agente biologico

Riscos Biológicos e Danos à Saúde

Patogenicidade é a capacidade de um agente biológico causar doenças ao trabalhador.

Virulência é o grau de agressividade do agente, que está relacionada à sua capacidade de proliferação, superação de defesas, invasão e toxicidade.

Os agentes biológicos podem causar doenças leves ou graves, que podem ser ou não contagiosas.

Podem causar danos sérios à saúde do trabalhador como infecções graves, alergias, doenças auto-imunes, neoplasias tuberculose, febre amarela... 

As doenças mais comuns em ambientes ocupacionais propensos ao risco biológico são: tuberculose, febre amarela, hepatite, gripe e tétano.

A exposição ao risco biológico de doenças infectocontagiosas, como a tuberculose, pode ser observada em trabalhadores que tem contado direto com materiais contaminados ou com pessoas doentes - atividades na área da saúde e em laboratórios biológicos.

Profissionais em laboratorio expostos a riscos biologicos

Formas de Exposição aos Agentes Biológicos

Existem duas formas de exposição do trabalhador aos riscos biológicos: exposição deliberada e exposição não deliberada.

A diferença entre esses dois tipos de exposição é relevante, uma vez que condiciona a análise dos riscos biológicos assim como as medidas preventivas a serem adotadas.

Exposição Deliberada

A exposição deliberada é aquela decorrente da atividade ocupacional do trabalhador. Nesse tipo de exposição o trabalhador utiliza e manipula o agente biológico, que é o objeto principal de sua atividade.

Nesse caso, na maior parte das vezes, os riscos biológicos já estão determinados. As características dos agentes são conhecidas, os procedimentos de manipulação já estão estabelecidos e os riscos de exposição determinados. 

Exemplos de atividades ocupacionais em que o trabalhador está deliberadamente exposto a riscos biológicos: atividades em laboratórios de diagnóstico microbiológico, atividades relacionadas ao desenvolvimento de vacinas e antibióticos, atividades de pesquisa com manipulação direta de agentes biológicos, dentre outras.

Exposição Não Deliberada

A exposição não deliberada é também decorrente da atividade ocupacional do trabalhador. No entanto, nesse tipo de exposição, a manipulação direta do agente biológico não é o objeto principal da atividade do trabalhador. 

Exemplos de atividades ocupacionais de exposição não deliberada: consultórios médicos, atividades de limpeza em serviços de saúde, atendimento em serviços de saúde, atividades em laboratórios clínicos (exceto de diagnóstico microbiológico), dentre outras.

Enfermeira e agentes biologicos

Fontes de Exposição de Riscos Biológicos

São fontes de exposição de riscos biológicos: seres vivos, objetos ou substâncias que abrigam agentes biológicos (pessoas, animais, plantas, objetos...).

Assim, se um ser (paciente), objeto (bisturi ou gazes) ou substância (sangue e urina) tornar possível a transmissão de um agente biológico a um reservatório ou a um hospedeiro, será considerado uma fonte de exposição de riscos biológicos.

Hospedeiro é um organismo que abriga outro (p.ex. um parasita) em seu interior ou o carrega sobre si. 

Reservatório é o ambiente no qual um agente biológico pode se estabelecer, crescer ou multiplicar-se, de forma a possibilitar sua transmissão a um hospedeiro. 

Vias de Transmissão e de Entrada do Agente Biológico

Via de transmissão é o caminho feito pelo agente biológico, da fonte de exposição até o hospedeiro.

Transmissibilidade é a capacidade de transmissão de um agente biológico a um hospedeiro.

A transmissão do agente biológico pode acontecer de forma direta ou indireta. 

Transmissão direta é aquela sem a intermediação de um veículo (p.ex. transmissão pelo ar, contato direto com a pele e mucosas em geral...).

Transmissão indireta é aquela que utiliza um veículo (p.ex. mãos, roupas, alimentos, instrumentos perfurocortantes...).

Medico e transmissao de agentes biologicos

Os agentes biológicos podem ser transmitidos, por exemplo:

Pela respiração;

  • Pela ingestão de um alimento contaminado;
  • Pela ingestão de água contaminada;
  • Pelo contato com insetos (picada de mosquito);
  • Pelo contato com os animais (mordedura de cachorro);
  • Pelo contato com outros objetos contaminados (pisar em um prego contaminado - tétano, acidente com agulhas).

Via de entrada é o órgão ou tecido por onde o agente biológico penetra no organismo. 

  • Via respiratória;
  • Via digestiva;
  • Via cutânea;
  • Via parenteral.

O reconhecimento das vias de transmissão e das vias de entrada do agente biológico irá estabelecer as medidas de proteção a serem adotadas.

Exemplos: se a via de transmissão for aérea ou pelo contato direto, deverá ser colocado um obstáculo entre a fonte de exposição e o trabalhador - uso de máscaras e luvas de proteção. 

Profissional da saude com luvas de protecao risco biologico

Medidas de Controle do Risco Biológico 

As medidas de controle de risco biológico poderão ser realizadas na fonte de exposição, nas vias de transmissão e no indivíduo (via de entrada).

Controle de Riscos Biológicos na Fonte

  • Redução do contato entre trabalhadores e pacientes portadores de agentes biológicos, evitando a realização de procedimentos desnecessários;
  • Eliminação ou substituição de materiais e equipamentos contaminados;
  • Afastamento temporário dos trabalhadores que possam transmitir os agentes biológicos;
  • Utilização de cabines de segurança biológica para restringir o agente à fonte de exposição;
  • Descontaminação do local de trabalho para impedir que o ambiente ocupacional se torne uma fonte de contaminação por agentes biológicos.
Profissional de saude lavando as maos riscos biologicos

Controle de Riscos Biológicos na Trajetória

  • Implantação de procedimentos de transporte e manipulação de materiais, objetivando reduzir a exposição aos agentes;
  • Redução do agente biológico no ambiente com isolamento de pacientes e utilização máscaras de proteção para pessoas doentes - contribui para a diminuição do risco de transmissão de tuberculose pulmonar, por exemplo;
  • Higienização das mãos depois de alguns procedimentos (p.ex. troca de fraldas - contribui para a diminuição do risco de transmissão de hepatite A);
  • Desinfecção e higienização de materiais e equipamentos;
  • Desinfecção e higienização de luvas e roupas. 

Controle de Riscos Biológicos no Indivíduo

  • Utilização de Equipamentos de Proteção Individual (máscaras e luvas de proteção para os trabalhadores expostos).
  • Os trabalhadores expostos a riscos biológicos devem ter acompanhamento médico relativo ao risco a que estão submetidos.
  • As medidas de segurança para evitar a contaminação biológica também envolvem o conhecimento dos riscos pelo próprio trabalhador, informação e formação das pessoas envolvidas, e respeito às regras de segurança. 

E você, sabe citar outras atividades que possuem riscos biológicos? Compartilhe suas experiências ou dúvidas deixando seu comentário!

Compartilhe