Riscos Ergonômicos: Saiba AGORA quais são e seus possíveis danos!

Riscos Ergonômicos

Riscos Ergonômicos são riscos que podem causar desconforto ao trabalhador por motivos fisiológicos ou psicológicos.

Para que possamos falar na existência de um risco ergonômico no local de trabalho, basta que exista a possibilidade de o trabalhador se encontrar em uma situação desconfortável e incômoda ao realizar suas atividades.

Portanto, a existência de riscos ergonômicos não necessariamente envolve riscos graves de acidentes no ambiente de trabalho.

Os riscos ergonômicos podem ser difíceis de serem identificados no ambiente de trabalho. 

São considerados riscos amplos e subjetivos, pois surgem quando as condições de trabalho prejudicam o bem-estar dos trabalhadores.

Riscos Ergonômicos 

São exemplos de riscos ergonômicos:

  • Posições inadequadas no ambiente de trabalho;
  • Repetitividade das atividades realizadas;
  • Monotonia das atividades realizadas;
  • Iluminação inadequada;
  • Levantamento de carga;
  • Situações de estresse mental.
Homem trabalhando com postura inadequada

Postura Inadequada

Dores nas costas e na região lombar são grandes causadores de afastamento do trabalho. 

A postura inadequada no local de trabalho pode causar problemas no sistema osteomuscular do trabalhador, fadiga, lesões e enfraquecimento de diversas regiões do organismo (coluna, pulso, lombar, braços e ombros).

Tais problemas podem ocasionar o aparecimento de Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e de Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

A postura inadequada do trabalhador juntamente com a repetitividade de suas atividades pode piorar a situação...

É muito comum em atividades em que o trabalhador passa a maior parte do tempo sentado (Ex.: caixas de supermercado, escritórios...). 

Ficar bastante tempo sentado durante o trabalho pode causar problemas sérios na coluna. 

Isso porque, quando estamos muito tempo sentados, os discos intravertebrais ficam pressionados e podem causar dores nas costas, inflamações e desvio postural.

Além disso, a inatividade do organismo, ocasionada pelo tempo sentado, pode aumentar o risco de obesidade e de infarto. 

Por outro lado, trabalhadores que exercem suas atividades muito tempo em pé podem acabar sobrecarregando as articulações e os membros inferiores, já que os braços ficam suspensos.

Proporciona fadiga e cansaço nas pernas e com o passar do tempo podem surgir problemas de circulação sanguínea, edema, varizes e formigamento.

Mulher com dor em trabalho repetitivo

Repetitividade

A atividade repetitiva no trabalho pode causar danos físicos e psicológicos ao trabalhador.

A maior parte dos problemas que são causados pela repetitividade dos movimentos faz parte dos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) e das Lesões por Esforços Repetitivos (LER). 

Dentre os danos físicos podemos citar: dores na coluna, bursites, tendinites e lombalgias.

Dentre os danos psicológicos podemos citar: ansiedade, estresse e depressão.

Portanto, os danos decorrentes de uma atividade laboral repetitiva geram diversas complicações para a qualidade de vida dos trabalhadores. 

A LER é bastante comum em digitadores que podem passar grande parte do tempo realizando movimentos repetitivos, sem pausas.

Esses movimentos podem causar inflamações nos tendões lesionando principalmente os dedos e as mãos (tendinite).

O surgimento de lesões decorrentes de esforços repetitivos é ocasionado por vários fatores, como por exemplo:

  • Postura inadequada e prejudicial às articulações;
  • Realização de tarefas que exijam o trabalho excessivo com as mãos;
  • Realização de atividades que exijam a repetição de um mesmo movimento;
  • Posto de trabalho desconfortável e inadequado;
  • Ritmo intenso das atividades;
  • Crescente metas de produção;
  • Impossibilidade de realização de tarefas diferentes;
  • Mobiliário ergonomicamente incorreto.
Mulheres monotonia no trabalho

Monotonia

A monotonia das atividades laborais é um risco ergonômico que pode afetar a produtividade do trabalhador, uma vez que contribui para sua desmotivação.

Atividades monótonas podem fazer com que o cérebro do trabalhador entre em “piloto automático”.

Novos desafios motivam as pessoas. Fazer todos os dias a mesma coisa, é desestimulante.

Além disso, pode causar o desenvolvimento de problemas psicológicos como ansiedade e depressão.

A monotonia no trabalho faz com que o trabalhador esteja presente apenas fisicamente. A mente facilmente se encontra em outro ambiente, que não o trabalho.

O trabalhador passa a se distrair por qualquer coisa: pessoas conversando, fofocas do dia e barulhos, se interessando cada vez menos por suas atividades, o que pode comprometer sua saúde mental e qualidade de vida.

São consideradas como monótonas as tarefas rotineiras, burocráticas, sem grandes variabilidades de estímulos, muito maçantes e paradas. 

Exemplo: caixa de supermercado, que executa os mesmos movimentos durante horas (atividade também repetitiva).

Um trabalho monótono pode até ser bem tolerado. 

No entanto, quando existir pouca ou nenhuma afinidade do trabalhador com a tarefa, o tédio facilmente surgirá, assim como a falta de atenção, negligência, falta de cuidado, dentre outros problemas.

Estatísticas apontam que os erros cometidos no ambiente de trabalho são inevitáveis conforme o aumento da monotonia das atividades.

Iluminação inadequada

Iluminação Inadequada

A iluminação inadequada (excesso ou insuficiência de luz) no ambiente de trabalho pode causar danos à saúde do trabalhador e até mesmo acidentes de trabalho.

Dentre os danos à saúde podemos citar: dores de cabeça, problemas de visão, estresse e irritação.

Iluminação Insuficiente

Em locais com pouca iluminação é necessário um esforço maior da visão do trabalhador, o que pode causar dores de cabeça, fadiga visual e desequilíbrios emocionais (nervosismo e irritação).

A insuficiência de iluminação no ambiente de trabalho pode causar a presbiopia conhecida como “vista cansada” - falha no processo de acomodação do cristalino, causando perda da visão para perto.

Isso pode interferir no desempenho do trabalhador em decorrência do aumento de erros ao realizar determinadas tarefas, além do aumento da probabilidade de ocorrência de acidentes do trabalho.

Iluminação Excessiva

Um ambiente de trabalho excessivamente iluminado também pode gerar danos à saúde do trabalhador.

O excesso de luz pode dificultar a lubrificação dos olhos, provocando irritação ocular, lacrimejamento e vermelhidão.

O local de trabalho excessivamente iluminado de forma natural (sol), pode apresentar níveis de radiação ultravioleta bastante intensos.

Isso pode causar danos à saúde do trabalhador desde uma vermelhidão na pele até o desenvolvimento de um câncer.

Levantamento de carga

Levantamento Manual de Cargas

O manuseio de cargas pode ser verificado em diversas atividades.

Inclui o carregamento, movimentação, abaixamento, levantamento, elevação e transporte de materiais.

O trabalhador nunca deverá movimentar ou levantar cargas além de sua capacidade.

O levantamento manual de cargas sem considerar as limitações do trabalhador pode causar sérios riscos à saúde.

Quando realizada de forma incorreta, pode provocar sérias lesões (musculoesqueléticas) no trabalhador.

Pode causar dores fortes na região lombar, coluna, braços, ombros, pulsos, pernas e articulações, reduzindo a mobilidade dos trabalhadores.

Ou seja, pode provocar Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) e Lesões por Esforços Repetitivos (LER).

Tais danos podem levar ao afastamento temporário (ou até mesmo permanente) do trabalhador de suas atividades em decorrência de incapacidade física.

Estresse mental no trabalho

Situações de Estresse Mental

Jornada de Trabalho Prolongada

Uma jornada de trabalho de 10 ou 12 horas por dia pode vir a ser considerada um risco ergonômico. 

O prolongamento do horário de trabalho pode provocar estresse, irritação, fadiga e outros distúrbios, em virtude do esforço exagerado (físico e mental) do trabalhador.

Isso pode causar a chamada síndrome de burnout ou esgotamento profissional, provocando a diminuição do desempenho, da produtividade e da motivação do trabalhador para a realização de suas atividades.

Trabalho Intenso

Mesmo cumprindo a jornada de trabalho de 8 horas por dia, o trabalhador pode estar exposto a um ritmo excessivo de trabalho.

Isso ocorre quando o trabalhador assume muitas tarefas em um curto período de tempo, trabalhando de forma mais intensa do que o normal.

O ritmo intenso de trabalho em um curto período pode provocar: estresse mental e físico, ansiedade, hipertensão, gastrites, úlceras, depressão, dentre outros distúrbios.

Cobrança Rígida

A cobrança rígida e excessiva de produtividade também pode causar o desenvolvimento de diversos danos à saúde mental do trabalhador: irritação, estresse, cansaço, mau humor, insatisfação, dentre outros problemas.

Essas situações costumam acontecer em atividades que exigem a entrega de elevados e eficientes resultados (ex.: atendentes de telemarketing).

Mulher pensativa como controlar riscos ergonomicos

Controle dos Riscos Ergonômicos

Como mencionado ao longo do artigo, os riscos ergonômicos no ambiente de trabalho podem causar sérios danos à saúde do trabalhador.

Assim, controlar e evitar tais riscos não é só necessário como também é exigido pela legislação trabalhista. 

Em decorrência do alto número de doenças e acidentes relacionados ao trabalho, no Brasil, foi elaborada a NR 17 - norma regulamentadora que trata da ergonomia.

A NR 17 visa o estabelecimento de parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Dessa forma, a norma exige a realização da chamada Análise Ergonômica de Trabalho (AET).

A Análise Ergonômica de Trabalho visa analisar os riscos ergonômicos no ambiente de trabalho e apresentar soluções para eliminar ou pelo menos diminuir os riscos existentes. 

Deve-se assegurar melhores condições no ambiente laboral para que o trabalhador possa desempenhar melhor suas tarefas, sem prejuízo de sua saúde física e mental. 

Medidas eficazes para assegurar o bem-estar e o conforto no ambiente de trabalho estão relacionadas à prática de exercícios, alongamentos e realização de pausas durante a jornada de trabalho.

É de extrema importância o desenvolvimento de planos educacionais para a conscientização da empresa e dos trabalhadores sobre riscos ergonômicos no local de trabalho.

É recomendado a adoção de programas de ginástica laboral e palestras informativas nas empresas. 

E você, quais medidas de controle acha mais importante? Palestras informativas ou a prática de ginástica laboral? Participe, deixe seu comentário abaixo!

Compartilhe