Riscos Químicos: Saiba AGORA sobre os danos e formas de proteção!

Riscos Químicos

Risco químico é a probabilidade da exposição ocupacional a agentes químicos.  São riscos ambientais assim como os riscos biológicos e físicos.

Agentes químicos são substâncias, misturas ou produtos que podem entrar no organismo do trabalhador, nas formas de vapor, poeira, gases, fumos, neblinas, névoas...

Conforme disposto na NR 9, consideram-se agentes químicos (...)

(...) as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo, pela pele ou por ingestão.

Os riscos químicos trazem ao trabalhador desde incômodos e desconfortos, até problemas de saúde, invalidez e morte.

A exposição a riscos químicos e a manipulação de produtos químicos podem provocar danos físicos e danos à saúde do trabalhador. 

Os danos físicos incluem: irritações na pele, irritação nos olhos, queimaduras leves e graves, dentre outros. 

Os danos à saúde incluem: doenças respiratórias (inalação de vapores), doenças hepáticas, renais, do sistema nervoso, câncer, dentre outros. 

Trabalhador com mascara de protecao agentes quimicos

Agentes Químicos 

Os agentes químicos podem ser encontrados no ambiente em diferentes estados físicos (gasoso, líquido e sólido). 

  • Estado sólido: poeiras, fumos, fibras, grãos...
  • Estado líquido: névoas, neblinas, gasolina...
  • Estado gasoso: hidrogênio, nitrogênio...

A possibilidade de um agente químico entrar no organismo do trabalhador está ligada ao seu estado físico.

Agentes químicos no estado gasoso podem entrar no organismo pela via respiratória (inalação do ar contaminado pelo agente químico) ou pelo contato com a pele e mucosas (absorção cutânea). Partículas gasosa também podem penetrar no organismo pela via digestiva.

Agentes químicos na forma líquida podem entrar no organismo pela via digestiva (ingestão) ou pelo contato com a pele e mucosas (absorção cutânea). Partículas líquidas também podem penetrar no organismo pela via respiratória.

Agentes químicos no estado sólido podem entrar no organismo pela via digestiva (ingestão), pelo contato com a pele e mucosas (absorção cutânea). Partículas sólidas também podem penetrar no organismo pela via respiratória.

Risco Químico: Poeira

A poeira é um tipo de risco químico sólido (partícula sólida) produzida pela ruptura mecânica de um material sólido. 

Essa ruptura mecânica pode ocorrer em decorrência do manuseio e limpeza de bancadas ou de uma operação mecânica: peneiramento, polimento, trituração, moagem e outras ações.

Exemplos: carvão, poeira de madeira, grãos e poeira de sílica.

Agente quimico carvao

Risco Químico: Fumos 

Os fumos são riscos químicos também representados em partículas sólidas que resultam de uma reação química ou da condensação de vapores. 

Os fumos são geralmente produzidos após a volatilização de metais fundidos.

Exemplos: fumo de ferro produzido em operações de solda elétrica.

Risco Químico: Fibras

Fibras são riscos químicos no estado sólido (partículas sólidas) que, assim como as poeiras, são geradas pela ruptura mecânica de materiais sólidos.

No entanto, as fibras são partículas mais alongadas do que as partículas das poeiras. Seu comprimento é maior que ser diâmetro. 

Exemplos: fibra animal (lã), fibra vegetal (algodão) e fibra mineral (cerâmica).

Nevoa de tinta agente quimico

Risco Químico: Névoas e Neblinas

As névoas e as neblinas são riscos químicos no estado líquido (partículas líquidas).

São geradas pela ruptura mecânica do líquido ou pela condensação de vapores de substâncias que são líquidas à temperatura ambiente. 

Exemplo: névoa de tinta produzida em trabalhos com pintura a pistola.

Risco Químico: Gases e Vapores

Gases são substâncias que, em condições ambientais de temperatura e pressão, estão no estado gasoso. Ex. oxigênio, nitrogênio e hidrogênio.

Vapor é a o estado gasoso de uma substância que, em condições ambientais de temperatura e pressão, se encontra em estado líquido ou sólido. Ex.: vapor de gasolina.

Efeitos dos Agentes Químicos

Os riscos químicos podem causar vários efeitos no organismo do trabalhador: irritação, asfixia, anestesia, toxicidade, alergia... 

Mascara de protecao agente quimico asfixiante

Agentes Químicos Asfixiantes

Agentes químicos asfixiantes são aqueles capazes de impedir que o oxigênio chegue ao organismo do trabalhador, sufocando-o. 

São exemplos: nitrogênio, monóxido de carbono, hidrogênio, hélio, metano e outros.

Podem causar dores de cabeça, sonolência, convulsões e morte.

Agentes asfixiantes podem ser simples ou químicos.

O agente asfixiante simples não age diretamente no organismo. Sua presença no ambiente desloca o ar e torna a atmosfera deficiente de oxigênio, tomando o seu lugar nos pulmões do trabalhador (p.ex. nitrogênio). 

O agente asfixiante químico age no organismo, pois impede a entrada do oxigênio nos tecidos (p.ex. monóxido de carbono - se liga a hemoglobina e impede o transporte de oxigênio e a oxigenação dos tecidos).

Agentes Químicos Alergênicos

Agentes químicos alergênicos são aqueles capazes de provocar algum tipo de alergia no trabalhador (p.ex. poeira de madeira e compostos de níquel).

Normalmente esse efeito vem acompanhado de uma predisposição fisiológica do trabalhador.  

Agentes alergicos mascara de protecao

Agentes Químicos Irritantes 

Agentes químicos irritantes são aqueles capazes de produzir irritação na pele, nos olhos, nas vias respiratórias e em outras partes do organismo do trabalhador.

A ação irritante de cada substância, mistura ou produto, depende da sua composição química, concentração no ar e tempo de exposição do trabalhador.

São exemplos: cloro, soda cáustica, amônia, ácido clorídrico, ácido sulfúrico...

Podem causar irritação nas vias aéreas.

Os agentes químicos irritantes podem ser divididos em irritantes primários e irritantes secundários.

Irritantes primários: produz irritação sobre o local em que entram em contato.

Irritantes secundários: produz irritação sobre o local em que entram em contato e que agem de forma generalizada sobre o organismo.

A solubilidade é uma característica importante do agente químico que irá determinar o local de ação desse agente no sistema respiratório.

  • Agentes irritantes que são altamente solúveis em água agem na via respiratória superior, mais especificamente nas áreas do nariz e da garganta (p.ex. ácido clorídrico).
  • Agentes irritantes que são relativamente solúveis em água agem na via respiratória superior e no pulmão (p.ex. ozônio).
  • Agentes irritantes que são pouco solúveis em água agem diretamente no pulmão (p.ex. óxido de nitrogênio).

Dessa forma, os agentes químicos mais perigosos para a saúde do trabalhador são aqueles pouco solúveis em água.

Mascara de protecao agentes quimicos anestesicos

Agentes Químicos Anestésicos

Agentes químicos anestésicos (narcóticos) podem provocar vários efeitos no organismo do trabalhador.

O efeito mais comum que esse agente pode causar é uma ação depressiva ou narcótica sobre o sistema nervoso central - inconsciência. 

Mas, os agentes anestésicos também podem provocar efeitos nos rins, fígado, sangue... 

São exemplos: acetona, propano, benzeno, butano, álcoois e outros.

Os agentes químicos anestésicos são primeiramente inalados pelo organismo (via respiratória). Captadas pelo pulmão, são transportadas à corrente sanguínea, onde serão distribuídas para o restante do organismo.

Também poderão entrar no organismo através do contato com a pele, podendo cair diretamente na corrente sanguínea do trabalhador. 

Agentes Químicos Tóxicos

Agentes químicos tóxicos são aqueles capazes de provocar intoxicações no organismo do trabalhador (p.ex. fumos metálicos provenientes de chumbo).

Os agentes químicos tóxicos podem ser inalados ou ingeridos pelo trabalhador.

Podem causar doenças pulmonares e outras intoxicações específicas de cada agente.

Outros Tipos de Agentes Químicos

  • Mutagênicos: provocam problemas hereditários (p.ex. chumbo).
  • Cancerígenos: produzem tumores malignos no organismo do trabalhador (p.ex. cromo, benzeno, amianto...). 
  • Pneumoconióticos: provocam algum tipo de pneumoconiose - como a silicose (p.ex. poeira de sílica).
  • Corrosivos: causam severos danos quando em contato com tecidos vivos ou, em caso de vazamento, danificam ou destroem as coisas (p.ex. soda cáustica).
  • Inflamáveis: substâncias que, quando misturadas ao ar, e na presença de uma fonte de ignição (fogo), entram em combustão - liberação de energia na forma de calor (p.ex. metano).
Trabalhadores com protecao respiratoria agentes quimicos

Principais Agentes Químicos e Efeitos

Sílica 

A poeira de sílica é um risco químico que causa uma doença respiratória denominada silicose.

É uma forma de pneumoconiose que diminui a capacidade de respiração do trabalhador, além de causar dores no peito, tosse, fraqueza e febre.

A exposição ocupacional da poeira de sílica ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: mineração de ferro, construção civil, siderúrgicas, extração de calcário, dentre outras.

Asbestos

A fibra de asbesto é uma variedade fibrosa de sais minerais utilizada em vários produtos comerciais.  

A inalação das fibras de asbesto pode provocar problemas respiratórios, causando até mesmo um câncer bronquial. 

A exposição ocupacional ao risco químico da fibra de asbesto ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: indústrias de fabricação de chapas, amianto, caixas-d’água, telhas, lonas de freios, confecção de roupas protetoras para bombeiros, dentre outras.

Atividade corte madeira agente quimico

Madeira

A poeira de madeira são partículas sólidas em suspensão decorrentes do manuseio da madeira.

Pode ocasionar vários danos à saúde do trabalhador, tais como irritações, dermatites, alergias respiratórias e até mesmo câncer.

A exposição ocupacional do risco químico da poeira de madeira ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: fabricação de móveis, construção civil, indústrias de reflorestamento, operações com serra circular e lixadeira, dentre outras. 

Benzeno 

O benzeno é agente químico líquido, incolor, volátil e altamente inflamável.

Provoca vários danos ao organismo como por exemplo: anemia, leucemia e outros efeitos no sistema nervoso central, imunológico, hepático e renal.

A exposição ocupacional ao risco químico benzeno, ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: é utilizado como matéria prima em indústrias químicas para a fabricação de plástico e borracha.

Fumos metalicos agentes quimicos

Fumos Metálicos

Fumos metálicos são partículas formadas em processos de fusão ou combustão de metais.

Os efeitos desse tipo de agente químico estão condicionados ao tipo de processo e das matérias primas utilizadas (ferro, chumbo, manganês, cromo...).

Dessa forma, dependendo do tipo de substância presente, os fumos metálicos podem ocasionar: irritações, saturnismo (intoxicação por chumbo), manganismo (intoxicação por manganês), pneumoconiose, dentre outras doenças.

Outra doença que os fumos metálicos pode produzir é a chamada “febre dos fundidores” - resulta no aparecimento de dores musculares, febre, tosse e resfriados. Mas, é uma doença passageira e o trabalhador pode se recuperar se afastando dois dias da exposição.

A exposição ocupacional ao risco químico de fumos metálicos ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: operações de fundições e soldagem, fabricação de baterias, mineração, dentre outras.

Em atividades de pintura a pistola, a névoa de tinta pode conter pigmentos metálicos como cromo e chumbo.

Trabalho com algodao agente quimico

Algodão

O algodão é uma fibra branca vegetal que se desenvolve a volta de sementes. 

A fibra de algodão pode causar problemas respiratórios, febre, bronquite e a chamada bissinose.

A bissinose é uma doença pulmonar que causa dores no peito, dispneia, tosse e dificuldade respiratória. É difícil de diagnosticar pois não apresenta alterações patológica específicas.

A exposição ocupacional ao risco químico das fibras de algodão ocorre nas seguintes atividades e ambientes de trabalho: fabricação de tecidos, tecelagem, indústria da confecção, dentre outras.

Mascara de protecao respiratoria

Riscos Químicos e Medidas de Controle

  • Promoção da saúde do trabalhador, com fornecimento de água tratada e alimentação adequada;
  • Adoção de medidas de proteção coletiva (ventilação localizada e eficiente e redução da duração da atividade e do grau de exposição);
  • Utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) - protetor respiratório e luvas de proteção;
  • Não comer, beber ou fumar no ambiente de trabalho que apresentam riscos químicos;
  • Prestar atenção nos rótulos dos produtos e nos avisos de advertência;
  • Promoção de treinamentos e palestras conscientizando os trabalhadores sobre os riscos dos agentes químicos a que estão expostos e sobre as formas de prevenção existentes);
  • Promoção de treinamentos e palestras conscientizando os trabalhadores sobre a utilização, guarda e conservação dos EPIs;
  • Posicionamento dos trabalhadores de forma a evitar a respiração dos agentes químicos - trabalho em locais abertos ou ao ar livre (de costas para o vento);
  • Apresentando qualquer sintoma suspeito o trabalhador deverá procurar o serviço médico.

E você, sabe citar outras atividades que possuem riscos químicos? Compartilhe suas experiências ou dúvidas deixando seu comentário!

Compartilhe